A vida sob o olhar otimista e pessimista

Muitos já ouviram a história de Ícaro, um personagem da mitologia grega. Outros também já ouviram das sombras na caverna de Platão.

Ícaro foi um otimista. Queria tanto voar que criou suas próprias asas de penas e cera. O erro dele foi perder o foco da vida real, imerso em suas próprias conquistas. Voou perto demais do sol, o calor queimou a cera de suas asas, e ele caiu no mar e afogou.

Os prisioneiros de Platão foram pessimistas. Eles passaram a vida inteira numa caverna, conhecendo o mundo de fora,  somente pelas sombras nas paredes da caverna. Um deles, teve a oportunidade de vivenciar a liberdade, mas preferiu manter a realidade que conhecia (sombras e escuridão) ao invés, de enfrentar a luz ardente do sol. Deixou sua experiência definir o mundo inteiro, e então, nem sequer sabia que algo diferente era melhor.

Devemos evitar o ciclo do desamparo aprendido, com afirmações do tipo: “não deu certo e nunca vai dar certo não importa o que eu fizer, então farei nada”. Há benefícios em aprender com o passado. Mas se vivermos no passado, não teremos coragem de viver o presente.

Também não devemos nos deixar ser levados por sonhos e pensamentos elevados, sem primeiro, analisar a situação de forma concreta e sã. É bom sermos otimistas, mas podemos chegar ao ponto de estragarmos oportunidades que temos porque pensamos ser super-homens capazes de fazer qualquer coisa. Temos limites.

Cada um de nós tendemos a adotar um desses espectro – ou caminhamos mais para o lado otimista ou pessimista.  Não podemos controlar o que nos acontece, somente como reagimos.

Quando algo não acontece como esperávamos, é natural ficarmos chateados. Mas, se praticarmos olhar para o lado positivo da situação ao invés do negativo, fica mais fácil mudarmos de pensamento.

Em nossa vida, devemos sempre procurar olhar para possibilidades futuras e não para o que não conseguimos realizar. Que todos nós, possamos enfrentar o findar deste ano com um paladar balanceado entre realidade e sonhos. Criemos asas, mas sejamos sensatos. Aprendamos com as sombras, mas sejamos abertos a um mundo novo.

 

Notícia AnteriorPsicologia Cognitiva
Próxima NotíciaQuando desejar uma coisa, concentre-se apenas nela